Assuntos de Goiás TV

terça-feira, 29 de março de 2011

Morre José de Alencar


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente brasileira Dilma Rousseff anteciparam para esta quarta-feira ao meio-dia o regresso ao Brasil, por causa do passamento de José Alencar, vice-presidente durante os dois mandatos de Lula.

José Alencar foi um exemplo de dignidade
Alencar, Morre aos 79 anos de um cancêr no abdómen, foi esta tarde descrito por Lula da Silva, em declarações aos jornalistas, em Coimbra, como "um homem de dimensão extraordinária".

“Poucos seres humanos têm a alma de José Alencar", afirmou Lula, que chorou várias vezes durante a entrevista e que classificou a relação de ambos como a de "dois irmãos". 

Lula anunciou que dedicará ao seu vice-presidente o titulo de doutor honoris causa que recebe amanhã de manhã na Universidade de Coimbra, uma das mais coceituadas do mundo.

Dilma Rousseff já ofereceu à família o Palácio do Planalto para que o corpo seja velado e decretou luto oficial de sete dias.

Lula e Dilma devem deixar Portugal apenas no final da tarde. Ficam assim cancelados os encontros agendados com José Sócrates e Cavaco Silva.

Fonte: Publico.pt

domingo, 27 de março de 2011

domingo, 13 de março de 2011

Tá chegando a hora do serviço aparecer


Reinaldo Cruz é

editor do Jornal Questão Brasil


Aquelas promessas feitas ontem, precisam ter da parte de

quem as fez, uma mostra ou pelo menos um esboço de que não foi só

discurso e serão cumpridas por aqueles que as fizeram e esperam a hora

certa para deixar a marca pessoal gravada nos feitos necessários para

que não mais se mencione a incompetência, omissão ou até mesmo falta de

condições para realizar daqueles que já passaram pelo posto de

comandante.
Em termos práticos, nossos atuais governantes tiveram 70

dias para tomar pé da situação e a partir de agora já tem condições de

começar a arrumar a casa que eles dizem ter encontrado na mais completa

bagunça.
Não no caso do Governo Federal que se orgulha em dizer

que é de continuidade e por isso nem podem usar a desculpa clichê de

“Herança Maldita” para justificar suas decisões.

Sem a tal “Herança” os Ministros então começam a afinar

o discurso em torno de um desenho de que um futuro negro para o Brasil

se aproxima, tendo em vista os problemas externos que ainda nem

surgiram ou se surgiram não se agravaram por

lá.
Algum integrante e simpatizante do Governo de Goiás

parece não ter se dado conta que a campanha eleitoral já terminou e se

deixam flagrar em várias situações em que parece estar ainda no

palanque, fazendo mais e mais promessas ao invés de arregaçar as

mangas, por as mãos a obra e apresentar os primeiros resultados, afinal

de contas foi Marconi Perillo quem disse que o Governo querendo ele faz

acontecer.
Em Goiás a tal “Herança Maldita” tem sido cantada em

verso e prosa para justificar medidas pouco simpáticas aos diversos

seguimentos afetados, principalmente no que diz respeito aos cortes ou

retenção de verbas.
E essas ditas ações antipáticas, praticadas nos

primeiros 70 dias só atingiram o lado mais fraco da população até

agora.
Muitos boatos, plantados ou não, correm por ai na

coqueluche da (dês) informação que se transformaram as redes sociais,

instrumentos tão eficazes que dão suporte e auxilio a qualquer pessoa

que queira construir ou destruir algo através da rede. A caixa de

ressonância é algo impressionante que propaga qualquer notícia,

verdadeira ou inventada, em questão de

segundos.
As redes sociais que deveriam ser mais bem utilizadas

para esclarecer as pessoas que fazem uso delas é a mesma que tem sido

utilizada por bajuladores oportunistas e opositores rancorosos

justamente para o contrário, se você quer entender uma notícia, saber

detalhes de uma decisão tomada ou mesmo só se informar do que está

ocorrendo em determinada área, é recomendado que evite ou ignore o que

se vê nas redes sociais.
A Internet foi liberada pelo TSE como instrumento de

campanha em 2010, aqueles que melhor souberam usar as ferramentas

saíram na frente no processo eleitoral, pois é um engano enorme pensar

que apenas a juventude esta conectada.
O Governador eleito Marconi Perillo sempre esteve

“antenado” com as novas tecnologias, faz muito uso delas e colhe

resultados eficazes nas páginas de relacionamento, que usa para levar a

sua mensagem a todas as classes sociais e faixas etárias que estão na

web.
Ganhou a eleição por isso?
Em minha opinião, não.
A Internet e suas diversas ferramentas contribuíram

sobre maneira nas campanhas de 2010, as que foram vitoriosas e também

colaborou para a derrocada de candidatos que se furtaram a usa-las ou

utilizou de forma errada.
Para dar uma ênfase melhor a esse ponto de vista, basta

citar que o então candidato a Presidência, José Serra era um PHD em

twitter, seus oponentes engatinhavam neste quesito e mesmo assim não

foi José Serra quem ganhou, mas sim Dilma Rousseff, que como Lula não

entendia nada de rede social.
Aqueles que não sabiam lidar com as redes sociais,

tinham assessorias bem instruídas que deram conta do recado de

transformar dinossauros em astronautas.
Ainda na época de campanha, muitos resolveram se

aventurar na missão de ajudar o seu candidato a vencer o pleito,

defendendo causas que muitas vezes não entendiam, promovendo via web

nomes conhecidos e até paraquedista com pouco ou nenhum serviço

prestado a sociedade, atacando adversários de forma gratuita e isso

tudo para mostrar que estavam ali vestindo a camisa, pondo a cara na

janela e como preferem dizer “tendo não só opinião, mas um lado”.

Pois bem, o pleito de 2010 já é assunto para os anais da

história, os candidatos eleitos já tomaram posse de seus mandatos e

aqueles que foram derrotados buscam ainda uma posição nas trincheiras

da situação ou oposição aos governos.
No front de campanha, a batalha já encerrou, mas nas

redes sociais tá longe disso acontecer, já estamos emendamos a campanha

de 2010 com a de 2012, tamanho é o grau de disputa que ficou na

Internet, muito mais no twitter que é o campo preferido de nove entre

10 políticos e onde os embates acontecem a todo o momento e de uma

forma ágil como seus 140 caracteres.
Para quem tem pretensões de entrar na próxima disputa é

bom ter seu nome ventilado a todo o momento, dado o número de usuários

destas redes, mas não se deve deixar levar pelo Oba-oba e esquecer-se

de postar ali suas idéias para 2012 é preciso usar o espaço para

debater propostas, trocar informações e deixar de lado os ataques

pessoais a prováveis adversários.
Marconi Perillo é o exemplo que tenho de como as redes

sociais e seus usuários podem ser benéficos para algumas situações e

significar problemas quando se tem outras pessoas a falar por

ele.
Em campanha e até bem antes dela, Marconi Perillo era

reconhecido como um político moderno que sabia perfeitamente qual era o

papel da interatividade no processo eleitoral. Durante a campanha que

parecia fácil até certo período, surgiram de todos os lados àqueles que

se dispunha a ajudar o candidato Marconi a difundir mais rápido e para

muito mais pessoas o seu projeto de governo.
É ai que percebemos um deslize de quem se propôs a

defender o candidato e suas idéias. Marconi Perillo não tem

responsabilidade sobre isso, mas seus correligionários não se limitam a

divulgar suas ações, agora muitos deles já acreditam ter adquirido

autonomia para escrever tudo o que lhes da na

veneta.
O resultado disso foi que em determinados momentos,

Marconi Perillo e o PSDB passaram a ser vistos como arrogantes ao ponto

de nos debates as pessoas acharem que ele estava maltratando o

adversário mais idoso, Iris Rezende e por pouco não viu ali, uma fuga

de votos por conta do assunto.


Agora passada as posses esse fenômeno se repete de novo,

com menos intensidade, mas com efeitos ainda mais nocivos ao governo

que se inicia.
Marconi Perillo pensa em algo e toma uma decisão,

acredito que não sai por ai comentando suas estratégias políticas para

realizar um ótimo governo, mas aqueles que se consideram oposição usam

a Internet para macular essas idéias, desmerecer propostas e criar um

ambiente de desconstrução da verdadeira intenção do

Governo.
O pessoal que se diz aliado de Marconi Perillo, que se

propôs ajudar na campanha, agora faz o mesmo, ou seja, atrapalham o bom

andamento da administração, emitindo opiniões próprias e destratando

adversários.
Bajulam excessivamente os integrantes do Governo e suas

ações, supervalorizam sugestões e decisões como se mesmo as antipáticas

para a população e que ainda não deixaram de serem propostas, fosse a

oitava maravilha do mundo.
Muitos dos que emprestaram seu apoio a Marconi Perillo,

o fizeram por que acreditavam que era dele o melhor projeto para Goiás

e não por outra coisa.
Já alguns continuam freqüentando as redes e expondo seus

pontos de vistas, como sendo do Governo, falam besteiras, atacam

pessoas, criam situações para não perderem o foco da rede e chamar para

si a atenção do Governador Marconi Perillo.
No episódio envolvendo a unidade da ROTAM e a OJC ficou

explícito o ponto de vista do Governador, que nada tem haver com o de

seus bajuladores que foram obrigados a voltar atrás em suas opiniões,

depois de Marconi Perillo expor qual era o seu pensamento em relação à

ação de intimidação da PM.
Um mico do tamanho do estado de Goiás que nos remete a

outra situação.
O Governo Marconi Perillo já completou setenta dias e

ainda não fez as coisas acontecerem como sonha o seu eleitorado. Muitos

acontecimentos levaram o Marconi Perillo para a contramão de seu

próprio discurso.
  O corte dos incentivos a cultura, a

suspensão da renda cidadã foram decisões desta gestão. O propósito não

foi esclarecido, mas após adequações será retomado, mas antes que isso

aconteça o mal estar e o desconforto entre os seguimentos e o Governo é

algo inevitável.
A promoção da nota fiscal foi liberada para beneficiar

os clubes profissionais, mas nenhuma contrapartida foi anunciada até

agora.
Os erros de outrora continuam.


Uns chamam a atenção pelo talento e boas atuações,

outros são manchetes pelo comportamento fora de campo e há também quem

chame a atenção por ambos os motivos.
Neymar e Leandro da Seleção sub 20 tem se destacado

pelas boas atuações no Sul Americano da categoria e colhem os frutos da

conquista no Peru. Leandro foi valorizado pelo São Paulo e agora tem

contrato de gente grande no clube do Morumbi.
Neymar que depois da volta da competição demorou um

pouco para reeditar as grandes atuações com a camisa Santista. Por

outro lado, fora dos gramados a vida da jovem celebridade tem sido um

prato cheio para as editorias de fofocas em todos os níveis, mas nada

que possa ser classificado como escândalo ou tenha mesmo um efeito de

babado forte.
Neste quesito o nome do momento é Adriano que acaba de

fazer um acordo para deixar o Roma da Itália sonhando vestir a camisa

do Flamengo. Após nove meses no clube da bota o atacante fez só

asneiras e nenhum gol, além de atuar muito pouco por lá, viu sua fama

piorar muito perante o torcedor brasileiro.
Ele e seu empresário não descartam, os dirigentes e

Wanderlei Luxemburgo negam, mas o destino do jogador deve ser mesmo o

Flamengo, que tenta não perder o foco com a negociação, ao tempo que

demonstra estar muito feliz e satisfeito com o comportamento e

rentabilidade de sua atual estrela, Ronaldinho

Gaúcho.
Outro que também esteve nas manchetes dos jornais foi

Robinho, primeiro por que não foi chamado por Mano Menezes para o

amistoso do dia 27 de Março contra a Escócia e depois pela especulação

do motivo da não convocação. Estaria Robinho em litígio com a Nike,

patrocinadora da Confederação Brasileira de

Futebol.
Agora que o Carnaval já passou, o foco passa a ser de

novo o futebol e suas estrelas, espero que os motivos venham só dentro

de campo.



Reinaldo Cruz
Questão futebol
O futebol vem com tudo pós as festas de Momo por todo o

Brasil, aliás, o futebol mesmo durante as festas produz manchetes e

histórias que ocupariam páginas inteiras de qualquer jornal do

Mundo.
Os times Brasileiros vivem momentos de emoção na Copa

Libertadores da América.
Fluminense e Santos vivem momentos delicados na

competição e passadas três rodadas da competição, a classificação

parece algo muito difícil de ser alcançada pelo time de Neymar e mais

ainda pelos comandados de Muricy Ramalho.
Cruzeiro e Grêmio justificam a fama de copeiros e seguem

muito bem nesta fase de grupos. Renato Gaúcho parece ter encontrado o

seu destino à frente do tricolor gaúcho e o contestado Cuca nasceu para

dirigir um grupo como o do Cruzeiro que é o melhor Brasileiro na

competição mais importante do continente.
O Grêmio de Renato Portaluppi segue muito bem também em

outra frente, o Gaúcho.
Em Santa Catarina o Criciúma é que da as cartas, Avaí e

Figueirense estão correndo atrás.
No futebol paulista vão se classificar oito para a

próxima fase, ou seja, todo mundo. Palmeiras, Santos, São Paulo e

Corinthians vão estar lá e não há favoritos no Paulistão

2011.
O Santos de Neymar, Elano e Zé Love tem alternado boas

apresentações com atuações medíocres. Elano é o único que tem mantido a

regularidade na equipe que espera por melhores dias com as voltas de

Neymar e Ganso.
O Palmeiras é aquilo que sua torcida se acostumou a ver,

um time comum que tem um treinador excepcional que tira leite de pedra.

A pergunta é, até quando.
Após o revés diante do Tolima na Libertadores, o

Corinthians se encontrou no regional que para muitos não serve de base

para nada. Liédson deu vida ao ataque é verdade, mas o time de Tite se

recente moralmente da perda de suas maiores estrelas, Ronaldo e Roberto

Carlos.
O São Paulo é dos grandes do estado, a maior incógnita,

por que tem um bom elenco no papel com Ceni, Rivaldo, Miranda, Lucas,

Fernandinho e Dagoberto.
Ao mesmo tempo em que tem bons jogadores, o Tricolor

sofre com a inconstância deles neste inicio de ano. Se a regularidade

vier, o São Paulo assume a condição de favorito ao

titulo.
O Rio de Janeiro continua lindo e também vermelho e

preto.
Com Ronaldinho Gaúcho dominando as ações na mídia e o

time jogando bem, o Flamengo que garantiu vaga na decisão do Carioca é

o maior favorito para conquistar não só o estadual, mas também a Copa

do Brasil.
Se resolver seus problemas de relacionamento entre

jogadores e treinador, o Botafogo e seu futebol arroz com feijão bem

temperado pode ser o único time a ameaçar o favoritismo Rubro-

Negro.
O Fluminense atual campeão Brasileiro, não encontrou a

harmonia em 2011, não vai bem às Libertadores e deixou escapar a chance

de brigar pela Taça Guanabara. Por enquanto Muricy não balança, mas

sabemos que no futebol o que vale são os

resultados.
O time da colina é hoje o que menos expira confiança em

sua imensa torcida. O Vasco fez uma Taça Guanabara horrorosa e apesar

de golear na Copa do Brasil não demonstrou padrão de jogo capaz de

despreocupar a sua torcida.
Em Minas Gerais as torcidas agora são divididas por

três.
O Galo vem mantendo a regularidade, após a

reestruturação do seu departamento de futebol. Ainda esta longe de ser

considerado o favorito a alguma coisa, mas tem tudo para chegar

lá.
Depois de muitos anos a margem no futebol Mineiro, o

América voltou com fome de conquistas. O nome do ataque é Fábio Júnior

e o coelhão quer muito mais.
Ninguém em Minas menospreza o Cruzeiro que nos últimos

anos tem sido o bambam do Futebol Mineiro. A condição do time de Cuca é

tão boa que ele aparece em todas as listas de favorito pelo

Brasil.
Na Bahia, o Vitória tem aproveitado o melhor momento

para avivar a rivalidade baiana. O time precisa de reforços, pois mesmo

estando voando no regional, a equipe não expira confiança nas

competições fora da boa terra.
O tricolor baiano tem colhido alguns infortúnios no

regional, tem assistido o sucesso de seu principal rival na competição,

mas pelo fato de estar na Série A nacional não tem tirado o sono de sua

torcida e a equipe promete dias melhores.
Em Pernambuco a alternância tem sido uma constante,

regularidade só a do Sport Recife que segue em uma draga

terrível.
Náutico espera brindar a sua torcida com um ano

perfeito
O Santa Cruz que já esteve na crista da onda no

estadual, parece ter perdido o foco e tem preocupado a sua torcida que

há muito tempo espera por dias melhores.
Há o futebol Goiano, emoção na parte de cima da tabela e

também na parte de baixo dela. Cinco equipes lutam por quatro vagas na

semifinal e outras cinco lutam para escapar do

rebaixamento.
CRAC e Anapolina estão bem no campeonato e sonham estar

entre os quatro semifinalistas da competição, um dos dois vai estar lá,

mas o outro precisa tirar um dos três clubes da

capital.
O Atlético Clube Goianiense foi o único que manteve a

base de 2010, mas esta enfrentando problemas com sua estrela maior,

Robston. Além disso, perdeu o clássico para seu principal rival e não

encontrou o padrão que outrora o consagrou.
O Tigrão é o dono da torcida mais empolgada do estado,

mas tirando este fator tá difícil para a equipe justificar a empolgação

dela. Perdeu Hélio dos Anjos para o Sport Recife e ainda não venceu

nenhum clássico até agora.
O Goiás não está garantido entre os quatro

semifinalistas, mas no campeonato Goiano, o time prova que sua camisa é

mesmo pesada e temida pelos adversários. Nos clássicos tem se dado bem

e aos poucos Arthur Neto vai dando padrão de jogo ao time

esmeraldino.
Posto isto sobre o futebol nacional, vamos falar agora

do futebol internacional.
A coqueluche do futebol europeu é a Champions League, e

nesse território de gigantes, o Barcelona de Lionel Messi tá sobrando.

O time catalão é o adversário a ser batido.
Claro que entre tantas equipes de ponta, como Real

Madrid, Bayer de Munique, Milan só para citar alguns, não podemos dizer

que qualquer um que desbanque o Barcelona seja uma zebra, claro que não

chegaria a este absurdo, mas superar a equipe dirigida por Guardiola é

algo que pode ser considerado como um feito

mesmo.
Nos nacionais, o Porto de Huck é destaque em Portugal,

Barcelona de Messi sobra na Espanha, Milan se mantém na ponta do

italiano, Chelsea não imagina perder a Premier League e na Alemanha o

Bayer de Munique está em dificuldades, mas nada que assuste a

torcida.
O velho continente tem muitas emoções reservadas para

esta temporada, com exceção da Espanha nos outros campeonatos ninguém

aponta um super. time mesmo que esteja com boa margem de pontos a

frente.
Na Espanha não, a situação é diferente, já que o único

que pode fazer frente ao Barcelona é o Real Madrid que a todo o momento

exalta as qualidades do adversário e ensaia uma crise entre suas

principais estrelas.
 





Todo mundo de olho nos

craques brasileiros


Uns chamam a atenção pelo talento e boas atuações, outros são manchetes

pelo comportamento fora de campo e há também quem chame a atenção por

ambos os motivos.
Neymar e Leandro da Seleção sub 20 tem se destacado pelas boas atuações

no Sul Americano da categoria e colhem os frutos da conquista no Peru.

Leandro foi valorizado pelo São Paulo e agora tem contrato de gente

grande no clube do Morumbi.
Neymar que depois da volta da competição demorou um pouco para reeditar

as grandes atuações com a camisa Santista. Por outro lado, fora dos

gramados a vida da jovem celebridade tem sido um prato cheio para as

editorias de fofocas em todos os níveis, mas nada que possa ser

classificado como escândalo ou tenha mesmo um efeito de babado

forte.
Neste quesito o nome do momento é Adriano que acaba de fazer um acordo

para deixar o Roma da Itália sonhando vestir a camisa do Flamengo. Após

nove meses no clube da bota o atacante fez só asneiras e nenhum gol,

além de atuar muito pouco por lá, viu sua fama piorar muito perante o

torcedor brasileiro.
Ele e seu empresário não descartam, os dirigentes e Wanderlei

Luxemburgo negam, mas o destino do jogador deve ser mesmo o Flamengo,

que tenta não perder o foco com a negociação, ao tempo que demonstra

estar muito feliz e satisfeito com o comportamento e rentabilidade de

sua atual estrela, Ronaldinho Gaúcho.
Outro que também esteve nas manchetes dos jornais foi Robinho, primeiro

por que não foi chamado por Mano Menezes para o amistoso do dia 27 de

Março contra a Escócia e depois pela especulação do motivo da não

convocação. Estaria Robinho em litígio com a Nike, patrocinadora da

Confederação Brasileira de Futebol.
Agora que o Carnaval já passou, o foco passa a ser de novo o futebol e

suas estrelas, espero que os motivos venham só dentro de campo.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Futebol nacional, rumos de 2012 e afins


Reinaldo Cruz
Questão Brasil

A zona que pode se transformar o futebol nacional a pouco mais de 40 meses do Mundial.


O rompimento dos principais clubes com o C-13 pode abrir de novo uma crise em nosso futebol.


O comandante maior do nosso futebol, Ricardo Terra Teixeira e a entidade que ele dirige estão se perdendo dentro do jogo de manipulação criado por eles mesmo com auxilio e o aval da Rede Globo de Televisão.
Nos últimos meses ameaçaram excluir cidades-sedes, acenaram para outras capitais e seus políticos influentes com a possiblidade de levar a copa até eles.
Faz seu papel de organizador preocupado que cobra as obras de infraestrutura e reformas dos estádios, mesmo sem apertar no cumprimento do cronograma ou se fazer presente acompanhando o que vem sendo feito e o que não esta sendo feito.
O Flamengo campeão do Módulo verde da Copa União
Mas ele sozinho, mesmo sendo o mandatário máximo do futebol brasileiro não tem o carisma para cobrar e exigir que os governos participem mais da ideia de termos um legado para o povo depois da copa.
É ai que entra as estrelas que um dia brilharam pela Seleção dita do povo.
Primeiro foi o Rei Pelé que afirmou temer que o Brasil passe vergonha em 2014, por não dar conta de organizar uma festa desta magnitude. 




O agora Deputado Federal, Romário não engoliu a isca por completo e se limitou a dizer que confia na capacidade do Governo Brasileiro de promover obras de infraestrutura que atendam as necessidades que o evento exige.

Os maiores:  Ronaldo, Pelé e Romário estarão envolvidos diretamente na promoção da Copa do Mundo
E até o recém-aposentado Ronaldo Fenômeno entrou na onda de que o erário, de tem que ser aplicado nas melhorias das cidades que vão receber os jogos da Copa do Mundo de 2014.
Ronaldo que é uma marca muito forte no Mundo foi convidado e aceitou integrar o comitê paulista da organização, mesmo sem saber ainda qual será a sua função especifica no grupo.
Segundo boatos vindos de pessoas ligadas ao Governador de Goiás, Marconi Perillo, Ricardo Teixeira teria deixado transparecer que Goiânia poderia voltar a figurar entre as 12 cidades que vão receber as partidas da Copa do Mundo.

Marconi Perillo e Raquel Teixeira com Ricardo Teixeira 
A cidade que poderia ser rifada para que a capital de Goiás entrasse, era Natal no Rio Grande do Norte. Poderia, pois a capital Potiguar recebeu um importante apoio para que permaneça como sede. 
A Presidenta do Brasil, Dilma Rousseff disse que Natal não vai sair do grupo das 12 sedes e anunciou a liberação de verbas na ordem de R$ 5,6 bilhões para as obras em Natal, Fortaleza, Salvador e Recife.
Lá se foram as esperanças de Goiás.

Só para constar, Natal e Recife nem começaram o trabalho e o poderoso estado de São Paulo nem estádio em condições de receber os jogos tem. Nas promessas de que será erguida uma arena para o Corinthians nem o mais otimista dos torcedores Gaviões da Fiel acredita.

Por lá também, na terra Bandeirante é que começou mais um imbróglio do nosso futebol, recheado de trapalhadas, ora envolvendo a CBF e o seu Presidente, ora envolvendo seu Presidente e a CBF.
Para chegarmos ao X do problema vamos voltar algumas décadas no tempo e falar dos personagens centrais da nossa explanação.

Tudo começa há muitos anos atrás, mas precisamente em 1987, Ricardo Teixeira já sonhava ser o homem forte do futebol no Mundo, mas ainda não mandava nem no futebol do Rio de Janeiro. Ricardo Teixeira era Genro de João Havelange, então Presidente da FIFA.

Os Presidentes das Federações regionais e clubes que mais se destacavam no Brasil eram Eduardo Viana (Rio de Janeiro) José Maria Marin (São Paulo) Wilson da Silveira (Goiás) Onaireves Moura (Paraná) Eurico Miranda (Vasco) Vicente Matheus (Corinthians)

A Confederação Brasileira de Futebol completava 17 anos sem conquistas importantes e apesar de ter os melhores jogadores do Mundo, faltava organização e para muitos até credibilidade para gerir o campeonato Brasileiro.

O São Paulo Futebol Clube era um dos grandes clubes no Brasil, mas sem expressão além das nossas fronteiras e naquele ano o seu dirigente Carlos Miguel Aidar liderou uma rebelião dos maiores clubes do País que exigiam mudanças na fórmula de disputa e na forma como era conduzido o campeonato nacional. Nascia então o Clube dos 13.

O Flamengo que já era naquele tempo detentor da maior torcida do Brasil também era um dos times rebeldes e se tornaria o campeão do módulo verde da futura competição.

A Globo se sente ameaçada pela Record e o C-13
O Sport Recife que não foi convidado a integrar o clube dos 13, que na verdade tinha 16 clubes na chamada divisão de elite também conhecida como módulo verde. Passou então a integrar o campeonato da CBF, mais conhecido como módulo amarelo.
A Rede Globo de Televisão, a maior audiência da América Latina deu todo o apoio e suporte para que a nova entidade e um campeonato com uma nova metodologia surgisse. 
Dirigentes e jornalistas afirmaram na ocasião que o Clube dos 13 era a única chance de salvar o nosso futebol de se tornar um futebol uruguaio.
Entidade criada, campeonato definido, mas faltava ter o respaldo da entidade que eles combatiam, a CBF.
Foi feito um acordo e as equipes do grupo elitizado (verde) e os primos pobres (amarelo) concordaram que haveria um cruzamento olímpico entre campeões e vices de cada módulo.

Todas as partes assinaram documentos e concordaram com os termos. Todas, inclusive São Paulo e Flamengo.

O que mudou em 24 anos?
Simplesmente tudo.

Mas as mudanças não começaram agora, começaram quatro meses depois da criação da nova redenção do nosso esporte mais popular.
Terminado a competição dentro dos módulos, Flamengo e Internacional vencedores do módulo verde se recusaram a jogar com Sport e Guarani que haviam vencido o módulo amarelo.
A atitude dos times da elite foi prontamente apoiada pelo Clube dos 13, por tanto o São Paulo também deu seu aval para que o Flamengo se considerasse o campeão de fato.
Passados 24 anos tudo no Futebol Brasileiro mudou, ou quase tudo. Ricardo Teixeira se tornou Presidente da CBF e já almeja mandar na FIFA.
Eduardo Viana, Vicente Matheus e Wilson da Silveira morreram.
Onaireves Moura, José Maria Marin e Eurico Miranda caíram no ostracismo. 
A CBF antes questionada, hoje é ainda mais questionada por seus atos e decisões.
O Flamengo viu sua vantagem diminuir, mas ainda assim possui a maior torcida do Brasil e o São Paulo deixou de ser apenas grande no Brasil e hoje tem padrão internacional. 
O Sport continua relegado ao segundo plano, assim como o Guarani e a nossa seleção colecionou uma infinidade de títulos importantes, onde incluímos ai duas Copas do Mundo.
Mas para não nos alongarmos mais o resumo da ópera conta que hoje a Rede Globo acredita que o câncer do futebol brasileiro é o Clube dos 13 que ela fortaleceu e ajudou a criar, a CBF passou a ser o eldorado a ser explorado.
Outra Rede de Televisão, a Rede Record se tornou uma ameaça real ao império global.
Hoje as decisões erradas da CBF e seu Presidente colocam os clubes em lados opostos, além de fazer de tudo para minar qualquer um que apoie a continuidade do Clube dos 13.
A CBF mandou a Taça de Bolinhas para São Paulo para tentar persuadir o clube a abandonar o Clube dos 13, isso depois de excluir o Morumbi da Copa 14, reconhecer os títulos de Cruzeiro, Santos, Palmeiras, Bahia e Fluminense no tempo do onça e declarar que não reconheceria o titulo do Flamengo em 87.
Uma semana depois as intenções ficaram mais claras, o São Paulo é o esteio que mantém o Clube dos 13 em pé e não deu sinais de que pretendia mudar de lado e o Flamengo sempre se mostrou receptivo e parceiro.
Então o senhor Ricardo Teixeira decidiu reconhecer o titulo de 1987.
Durma com um barulho deste.
Espanta que o maior nome da politica de Goiás acredite na conversa mole do homem que dirige a CBF e pior passa adiante, através de seus interlocutores nas Redes Sociais, tais absurdos.

Ricardo Teixeira confirmou o jogo da Seleção Brasileira contra a Holanda em Junho no Serra Dourada, mas não deu tempo nem para que Marconi Perillo capitalizasse em cima, pois marcou a despedida de Ronaldo Fenômeno para apenas três dias depois em São Paulo.
Ricardo Teixeira é tão sem credibilidade no que diz que eu não ficaria surpreso nem um pouco se ele excluir amanhã Curitiba, Belo Horizonte ou o Rio de Janeiro só para incluir Goiânia entre  as sedes da Copa do Mundo.
Qualquer decisão que venha de Ricardo Teixeira não vai assustar ninguém, mas o que tem impressionado é a ingenuidade do Governador Marconi Perillo que talvez acredite em histórias da Carochinha, ou esteja querendo, de fato se tornar um novo Monteiro Lobato que irá reescrever uma nova história para Goiânia e a Copa de 2014.




Adriano, hoje no Roma da Itália quer voltar de novo
Adriano é mesmo um talento perdido do nosso futebol


O jogador do Roma que sonha voltar um dia ao Flamengo, agora se diz arrependido e pediu desculpas para os dirigentes e os tifosis do clube da Cidade Eterna por não se apresentar na data correta e pela indisciplina.
Talento ele tem, mas a cabeça não ajuda e pode pôr um fim precoce em sua carreira nem tão brilhante assim.



Blater não tem preocupação com o Canadá, mas com o Brasil...
Mundial Feminino

Com a retirada da candidatura do Zimbábue para sediar a Copa do Mundo de Futebol Feminino em 2015, o Canadá passa a ser o único a pleitear o evento.
Joseph Blater diz que não tem preocupações em relação ao projeto Canadense, pois o País tem experiência de organizar eventos grandiosos como Olimpíadas e Pan-americanos.



Os Rumos de 2012

A disputa pela Prefeitura de Goiânia em 2012 promete e ganha contornos de disputa muito acirrada entre vários candidatos com chances reais e competência comprovada para pleitear o cargo.
A base de sustentação do Governo Marconi Perillo já tem três nomes lançados como pré-candidatos: Jovair Arantes (PTB), Demóstenes Torres (DEM) e Fábio Souza (PSDB).


Paulo Garcia não admite falar de reeleição neste momento
Paulo Garcia (PT) vem dando mostras que não vai ser mero coadjuvante no processo, mas ainda demonstra uma certa irritação quando alguém toca no assunto. Com uma folha de serviços realizados desde os primeiros dias de 2011, Paulo quer provar que é o melhor nome do seu partido para concorrer à reeleição.
Nunca podemos desprezar o nome que o PMDB apresentar, mesmo o partido estando assim meio sem direção e buscando novos líderes no momento. A única certeza pelos lados do partido de Iris Rezende é que nem ele e sua esposa Iris estarão no páreo, mas que eles ainda detém a palavra final no partido.
E olha que o PMDB tem alguns nomes que podem sacudir as urnas em 2012, a nova geração capitaneada por Thiago Peixoto tem Francisco Júnior como revelação em matéria de articulação e Waguinho Siqueira como administrador.
Paulo Garcia fez ajustes na sua equipe onde acomodou aliados do porte de Ernesto Roller e George Morais, mas isso não seria garantia de apoio deles. George Morais e o PDT podem estar planejando uma investida sobre o Paço e o nome que também surge forte é o da Deputada Federal Flávia Moraes.
Só aqui citamos pelo menos seis nomes com totais condições de pleitear a cadeira de Prefeito de Goiânia, mas uma coisa é certa, Marconi Perillo terá papel decisivo na disputa e não poderá se omitir.
O maior nome da politica de Goiás tem no pleito de 2012 sua afirmação como tal. Se as coisas não andarem a contento, além do desgaste, Marconi Perillo pode dar brecha para que venha surgir oponentes de peso para 2014. 
A eleição de 2012nas maiores cidades, em especial Goiânia, vai determinar se ele vai navegar tranquilo em 2014, como em 2002 ou se terá que provar mais uma vez que é o nome mais importante e influente da politica de Goiás. 
É meu amigo, aqui é assim você participa de uma eleição de olho na outra e não há como fugir disso. 
Muitos dirão que ainda é muito cedo, mas se olhar em volta, verá que todo mundo do meio politico já está se movimentando com o proposito de alcançar objetivos maiores em 2012.
As nuances e vertentes são muitas e como diria Edson Rodrigues “Tudo pode acontecer” logo vai aparecer por aqui, alguém para contestar nomes, qualidades, competências e outras coisinhas que fazem uma disputa eleitoral, mas uma coisa é certa os nomes postos ao seu deleite são sim de peso e a articulação que vai formar as coligações é que vai determinar o nome do próximo prefeito da Capital.


Seguidores